AS REDES DE COLABORAÇÃO COMO FATOR INOVADOR NA IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS. UM ENQUADRAMENTO TEÓRICO COM BASE NA NOVA GOVERNAÇÃO PÚBLICA
PDF/A

Palavras-chave

Redes de Colaboração
Administração Pública
Inovação
Nova Governação Pública

Como Citar

Correia, P. M. A. R., Mendes, I. de O., & Bilhim, J. A. de F. (2020). AS REDES DE COLABORAÇÃO COMO FATOR INOVADOR NA IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS. UM ENQUADRAMENTO TEÓRICO COM BASE NA NOVA GOVERNAÇÃO PÚBLICA. Lex Humana (ISSN 2175-0947), 11(2), 143–162. Recuperado de http://seer.ucp.br/seer/index.php/LexHumana/article/view/1619

Resumo

O papel do estado tem vindo a registar mutações que tendem a acompanhar a evolução das exigências e das expectativas das sociedades e, bem assim, dos seus agentes. Deste modo o setor público já incorporou a ideia de que inovação na Administração Pública é hoje uma realidade, com inúmeros exemplos de boas práticas ao nível nacional e internacional. Ao nível da governação das políticas públicas, o paradigma tem também evoluído na medida em que, hoje o foco é alargado, onde a questão central reside nas necessidades dos clientes / cidadãos / utentes, em que se enfatiza, não apenas a governação dos relacionamentos interorganizacionais e intersectoriais, mas também a eficácia dos sistemas de prestação de serviços públicos. O presente artigo, pretende aferir a relação entre inovação e os mecanismos de governação colaborativa e qual o seu impacto na definição e implementação de políticas públicas. Como conclusão consideramos que embora existam já exemplos de redes de colaboração com resultados positivos, existe ainda um longo percurso a percorrer no que se relaciona com fatores como a forma da sua criação, o modelo a seguir, os fatores potenciadores da sua sustentabilidade futura e os determinantes do sucesso desejado face aos objetivos que levaram à sua criação.
PDF/A

Downloads

Não há dados estatísticos.